domingo, 6 de abril de 2008

Drops

Como eu estou sempre à procura de novos nomes do jazz
fiz um drops para quem gosta do gênero.



Das antigas


Quem gosta deve conhecer o gênio Thelonious Monk, porque ele é dos anos dourados do jazz. Para a sua época era um pianista excêntrico. Conhecido pelo seu estilo inovador, na época foi bastante criticado, mas logo em seguida foi reconhecido como um dos maiores nomes do jazz mundial. Gosto do Cd Monk´s Dream.. Vale a pena baixar.




Das antigas

Mentora de vários cantores que a gente já admira ( Paul McCartney, Bette Midler, Madonna, K.D. Lang, Elvis Costello, Dr. Johne) Peggy Lee, foi considerada pelos criticos a versão feminina de Frank Sinatra e uma das cantoras mais importantes do século XX. Admirava muito como interprete, descobri mais tarde que ela era compositora. Peggycolaborou com Dave Barbour ( com quem se casou em 1943), Sonny Burke, Victor Young, Francis Lai, Dave Grusin, John Chiodini e Duke Ellington. Não apoio muito os *the best of*, mas não achei muita coisa no soul seek a não ser isso. Para quem tem LastFm tem vários álbuns, inclusive o Miss Peggy Lee com m 113 faixas para se deliciar.

Dica nova

Michael Bublé segue uma linha totalmente contrária a de Thelonious, mas é vizinho da Peggy, pois tem um jeito totalmente Frank Sinatra, só que mais contemporâneo; como Norah Jones e Jammie Collum. Embora exista essa onda atual do pop/jazz, Bublé mantém o ritmo clássico do jazz, cheio de energia, qualquer um confundiria, facilmente a época do qual veio. O seu álbum de 2003 alcançou o top 10 no Canadá, Reino Unido e Austrália. O cara tem 13 discos, mas eu aconselho o Call me Inrresposible. Muito bom.


Dica nova
Para quem já tem afinidade com Bilie Holiday não vai resistir a cantora e compositora americana Madeleine Peyroux. A sua voz é absurdamente aprecida com a diva do jazz. A revista Time classificou o seu primeiro álbum, Dreamland, de1996, como “a mais excitante, envolvente performance vocal feita por uma nova cantora no ano”. A cantora ficou desaparecida da mídia durante 6 anos, não divulgou o seu cd recém lançado e preferiu uma maneira mais alternativa de viver a vida; ir a França e cantar pelas ruas de Paris. Peyroux não lançou mais nada nesse intervalo de tempo. Em 2003, em parceira do multi instrumentista William Galison, trouxe o EP Got You on My Mind, divulgando apenas em seus shows e pela Internet. Eu sou apaixonada pelo seu estilo livre e sem pretenções. Fico com o álbum Careless Love. Maravilhoso.

2 comentários:

RICARDO disse...

Ae, - que post legal!
Bom você ter colocado artistas de várias épocas. hmm...não tinha ouvido falar da Madeleine Peyroux, vou dar uma procurada.

Acho que você deveria postar mais sobre jazz haha, e falar do swing e do bebop (divino bop!) e do cool e do free jazz que eu nunca entendi direito.

O pessimista disse...

Cara, vou ter que escanear a figueira.